" />

Enter your keyword

E-commerce e a necessidade de estar inserido no mundo digital

E-commerce e a necessidade de estar inserido no mundo digital

E-commerce e a necessidade de estar inserido no mundo digital

 

 

A inovação é necessária em todos os setores da economia, no comércio essa necessidade não é diferente. A tecnologia trouxe consigo várias possibilidades na área comercial, sendo uma delas o E-commerce, ou comércio eletrônico. Mais praticidade, velocidade e melhor atendimento ao cliente são alguns dos fatores que fez com que o E-commerce se tornasse a tendência que é atualmente.

 

AFINAL O QUE É E-COMMERCE?

Apesar de estar em alta, muitas pessoas ainda não compreendem o termo. E-commerce é a abreviação em inglês de “comércio eletrônico, ou seja, a comercialização de produtos e serviços pela internet, onde as transações são realizadas via dispositivos eletrônicos, como computadores e smartphones. Tal comercialização pode acontecer por diversos canais de vendas, como: loja virtual, marketplaces, redes sociais e até vendas por e-mail marketing. Pode parecer simples, mas há muita coisa por trás de um bom e-commerce, é preciso oferecer aos clientes as principais funcionalidade que garantam uma navegabilidade agradável, uma compra 100% segura e a garantia de que ele retorne à loja mais vezes.

 

UMA PINCELADA NA HISTÓRIA

O primeiro contato que as pessoas tiveram com e-commerce foi no final da década de 70, em 1979, quando Michael Aldrich apresentou a ideia de um sistema que permitia realizar compras online, porém a primeira transação só ocorreu em 1981 por uma empresa de turismo britânica. A primeira pessoa a comprar algo pela internet foi Jane Snowball em 1984, logo após em 1990, com o surgimento de WorldWideWeb(www), acessar e usar a internet ficou muito mais fácil. Em 95 foram fundadas a Amazon e o eBay, em 99 o Alibaba, todas essas empresas são gigantes em vendas online atualmente.

No Brasil tem-se registros do primeiro e-commerce em uma grande livraria em 1996, porém muitas pessoas acreditavam que havia surgido em 1999 com o site Submarino. Logo, o mercado de e-commerce ainda é bem recente e com certeza grandes oportunidades estão por vir. A praticidade reina como benefício para o e-commerce e muitos segmentos ainda podem ser potencializados com este segmento.

 

POR QUE SEU. NEGÓCIO PRECISA DE UMA BOA LOJA VIRTUAL?

O crescimento do e-commerce se dá sobre uma tendência que já era forte antes mesmo da pandemia do novo coronavírus. As empresas que ainda estavam cogitando apostar nesse segmento, estão agora acelerando os seus processos de entrada. É possível afirmar que o mundo pós-pandemia nunca mais será o mesmo. E quem melhor se adaptar é quem sairá fortalecido dessa situação.

 

De acordo com o Opinion Box, 85% dos brasileiros que possuem smartphone realizam ou já realizaram compra online. Entretanto, 25% das lojas ainda não possuem sites responsivos preparados para os dispositivos móveis, segundo a Ipsos. Essa é a verdadeira oportunidade de investir nesse setor e sair à frente dos seus concorrentes. É importante salientar também que mais da metade dos consumidores voltam a comprar na mesma loja quando a mesma apresenta fácil navegação.

Os usuários de dispositivos móveis são muito dinâmicos e exigentes, não possuem paciência para um carregamento lento e costumam abandonar páginas que demoram mais de 6 segundos para carregar, de acordo com a Kissmetrics. Isso reforça ainda mais a importância de ter um site bem estruturado, com categorias bem definidas e com informações bem visíveis. Além disso, o consumidor que recorre a uma loja virtual para realizar suas compras não se importa diretamente com o tamanho do negócio, mas sim com a reputação da loja, a confiança nos produtos e o impacto social desta. Portanto, não basta apenas possuir uma loja virtual, esse espaço precisa ser de qualidade e agradar o cliente para que a compra realmente aconteça.

 

TENDÊNCIA X COMPLEXIDADE

Como foi comentado anteriormente, a necessidade pelo comércio eletrônico é maior a cada dia que passa. Com a continuidade do período de quarentena, a Ebit/Nielsen acredita que a tendência de crescimento se manterá nas próximas semanas, considerando que semana a semana, produtos de giro rápido mostraram 21,7% de aumento nas compras online, demonstrando que o consumidor está se adaptando a comprar itens mais simples pela internet e pode levar esse hábito adiante. O e-commerce ganha força e passa a ser a melhor opção de venda, pois o consumidor recebe seu produto em casa, com o menor contato físico possível. Muita gente está tendo sua primeira experiência com a compra online, e quem tinha alguma resistência passou a dar uma chance.

Entretanto, a partir de dados de mais de 2 mil consumidores, o teste da E-commerce Quality Index (EQI) apontou que a nota de qualidade dos e-commerces no Brasil é 40. Lembrando que em uma escala de 0 a 100, o mínimo aceitável é 60. Ainda assim, de acordo com pesquisas feitas pela PWC, 23% dos brasileiros pagariam mais para ter uma boa experiência de compra online e 80% dizem que eficiência, conveniência e atendimento são os elementos mais importantes da experiência positiva no e-commerce. Por conta disso, infelizmente, muitos consumidores abandonam uma compra por encontrar dificuldades técnicas para completar a transação.

 

RETORNOS DO INVESTIMENTO

O Brasil é o país que mais fatura com o comércio eletrônico em toda América Latina e no ano de 2019 teve 22,7% de aumento no setor, segundo relatório da NeoTrust. Analisando os números desse período, é perceptível como as empresas tiveram que se adequar ao mercado e usaram a tecnologia ao seu favor. Segundo pesquisas do Sebrae, na categoria de micro e pequenas empresas houve um crescimento na receita por meios digitais considerando que 48% mudaram o modo de funcionamento, apostando em entregas online e serviços na internet. Com base nos dados apresentados, é visível que o e-commerce é um segmento que vale a pena investir, uma vez que já está apresentando retornos significativos para a economia das empresas do país.

 

SETORES BENEFICIADOS

As principais pesquisas sobre a economia apontam dois setores como os mais promissores no segmento online: o setor alimentício e o varejo. Na categoria de alimentos e bebidas, segundo a Compra&Confie, as vendas online cresceram 44% no mês de março de 2020 em relação ao ano 2019. Esses números só tendem a aumentar, tendo como base de que somente 0,2% das vendas de alimentos no Brasil é online. Já no setor do varejo, de acordo com dados da Associação Paulista dos Supermercados(Apas) houve um aumento de 107% no e-commerce de supermercados entre os dias de 23 e 29 de março em comparação com o mesmo período de 2019. Ou seja, para as empresas do setor alimentício e do varejo que ainda não possuíam uma plataforma de e-commerce, agora é a hora certa para investir e impulsionar suas vendas.

 

POR QUE A KONVEX?

Então, como foi visto, a digitalização é mais que uma tendência, é necessária, pois torna as empresas mais eficientes, não só para este, como para novos choques no mercado. Deve se ter em conta que os novos consumidores não deixarão de ir às lojas físicas no futuro, mas poderão fazer um uso mais regular do delivery se aprovarem a experiência que estão tendo agora. Ou seja, o objetivo é que a loja virtual apareça como mais uma opção para fortalecer a marca.

Diante desse cenário, para desenvolver um bom comércio eletrônico que atenda as expectativas do consumidor e seja eficiente para a empresa, nada melhor que contar com ajuda profissional. É neste momento que a Konvex entra para auxiliar seu negócio nesse processo de adaptação, da melhor maneira possível. Se ficou alguma dúvida ou quiser saber como aplicar o comércio eletrônico no seu negócio, marque uma reunião conosco, vamos sempre ao máximo, adaptar os nossos serviços, a sua necessidade!

Para ter acesso ao PDF completo desse artigo, basta preencher o formulário a baixo.

No Comments

Post a Comment

Your email address will not be published.